Jenny Sealey, acompanhada de uma delegação de artistas com deficiência de Londres, vai liderar trabalho de criação circense juntando artistas com deficiência do Rio de Janeiro.

 

Acaba de chegar ao Circo Crescer e Viver uma das mais importantes criadoras inglesas – a diretora artística, Jenny Sealey, que assinou, ao lado de Bradley Hemmings, a Cerimônia de Abertura do London 2012 Paralympics Games (Jogos Paralímpicos de Londres 2012). Fundadora do Graeae Theatre Company – companhia de teatro londrina fundada em 1980, Jenney Sealey alcançou reputação internacional pelo seu trabalho pioneiro de acessibilidade no teatro através de montagens e produções de excelência com artistas com deficiência.

Sua vinda ao Brasil marca o início de uma ampla rede de parceiros e instituições brasileiras e britânicas com foco no desenvolvimento e consolidação de uma metodologia de formação e qualificação de artistas com deficiência em artes e habilidades circenses. Uma rede que junta no mesmo propósito o Circo Crescer e Viver, o Graeae Theatre Company,  o  People’s Palace Projects, a Cia. de Dança Viviane Macedo e o British Council.

Durante dez dias, uma delegação de artistas com deficiência ingleses, que acompanham Jenny nesta vinda ao Rio de Janeiro, se juntam a um grupo de artistas com deficiência brasileiros, que estão sendo preparados por Vinicius Daumas, coordenador artístico do Circo Crescer e Viver, para um trabalho de troca de experiências e para uma imersão criativa que vai gerar as bases da produção e montagem de um espetáculo circense durante um próximo encontro entre as duas trupes, que deve acontecer em março de 2014, desta vez, em Londres.

Ao todo, são dez artistas nacionais e internacionais que estão recebendo treinamento em técnicas circenses e, ao mesmo tempo, participando do processo de criação coletiva do espetáculo. Nesta primeira etapa, eles aproveitam este encontro em território brasileiro para conhecimento e entrosamento do grupo, além de criação de vocabulário artístico e definição do objetivo final do trabalho. Posteriormente, o grupo de cinco artistas brasileiros, conduzido por Vinícius Daumas, e de cinco ingleses, comandado por Jenny Sealey, continua a preparação, cada qual em seu país, com acompanhamento periódico das tarefas realizadas em ambos. E, finalmente, as duas equipes voltam a se encontrar, em Londres, para o término da produção do espetáculo.

O resultado desta co-criação dirigida por Jenny Sealey, com co-direção de Vinicius Daumas, terá a sua estreia na Inglaterra, em abril de 2014, com temporada prevista para o RoundHouse  – umas das mais prestigiosas casas de espetáculos Londres. Na sequência, a trupe atravessa o Atlântico em direção ao Brasil para se apresentar, em maio de 2014, na programação da segunda edição do Festival Internacional de Circo do Rio de Janeiro – evento produzido pelo Circo Crescer e Viver em parceria com a produtora carioca M’Baraka, que em sua próxima edição terá 15 companhias internacionais de circo contemporâneo e outras 15 nacionais, apresentando seus espetáculos em um circuito que envolve todas as favelas pacificadas do Rio de Janeiro, além de bairros e comunidades populares distribuídas por todas as regiões da Cidade.