O Programa de Circo Social articula de forma lúdica, as dimensões simbólica, social e educativa das artes circenses, oferecendo à crianças e jovens de classes e comunidades populares, estudantes da rede pública de ensino, oportunidades educativas focadas na elevação da autoestima; fortalecimento da autonomia; e no desenvolvimento da criatividade. As atividades são gratuitas e oferecidas à crianças e jovens com idades entre 7 a 17 anos.

Princípios Pedagógicos
As atividades baseiam-se no estímulo das Inteligências Múltiplas, tomando por base a pluralidade dos conhecimentos dos educandos, reconhecendo que eles são portadores de saberes além dos linguístico (habilidade criativa de lidar com as palavras) e do lógico matemático (habilidade lógica e científica). Assim, o trabalho junto ao educando visa o desenvolvimento de um conjunto de outros saberes, conhecimentos e inteligências que entendemos intrínsecas do circo, entre as quais a: inteligência espacial (habilidade de relacionar padrões, perceber formas espaciais e conceituar relações entre elas); inteligência corporal sinestésica (habilidade de usar o corpo para resolver problemas ou moldar produtos); inteligência interpessoal (habilidade de compreender as pessoas e relacionar-se com os outros), inteligência intrapessoal (competência para autoconhecer-se e estar bem consigo mesmo, administrando seus sentimentos e emoções a favor de seus projetos), cujo alcance é proporcionado por situações de aprendizagem através de um conjunto de atividades que integram os fazeres educativo e artístico.

Fazer Educativo e Artístico
Por ser uma proposta de educação não-formal pela via da cultural, busca-se um currículo baseado nos desejos, necessidades e interesses dos participantes, favorecendo o enriquecimento de suas biografias e ampliando a gama de vivências e experiências formativas, utilizando o fator de sedução das artes circenses integradas à outras linguagens artísticas e culturais como facilitadoras de múltiplos aprendizados, recorrendo também aos referenciais mais amplos da cultura e da memória para a reescrita e reconstrução de identidades, permitindo aos sujeitos envolvidos que se (re)conheçam e se (re)pensem em termos de origem, pertencimento e inserção social.

Oficinas de Circo – Aulas e práticas de técnicas e habilidades circenses como tema central de uma ação conjugada, indicando condutas organizadas e conscientes, cujos conteúdos de aprendizagem são voltados para os participantes desenvolverem e aprimorarem competências nas técnicas circenses de: Acrobacia de Solo; Acrobacia Aérea; Malabarismo e Equilíbrio, através das quais adquirem consciência corporal, capacidade de deslocamento e de manipulação de objetos.

Oficinas Complementares – Atividades nas quais os participantes ampliam seus conhecimentos sobre a História da Arte, História do Circo e vivenciam a relação com outras linguagens artísticas e culturais, além de participarem de atividades formativas nas áreas que integram a cadeia produtiva do espetáculo circense.

Mostras e Exibições Públicas – Propiciam aos participantes um espaço de expressão criativa, no qual dividem com familiares, amigos e a comunidade, os resultados alcançados depois de um ciclo de esforços. Mostrando o que se dedicaram à aprender e a evolução dos seus conhecimentos artísticos e culturais, se percebendo como sujeitos ativos e produtores de bens culturais e como protagonistas de ações positivas.

Baseados nos quatro pilares da educação da UNESCO, os processos envolvem os participantes em todas as fases da sua execução. Assim os participantes praticam a habilidade de construir conhecimentos, por meio de pesquisas, planejamentos e avaliações que são estimulados a realizar de todas as atividades [aprender a conhecer].

O envolvimento dos participantes em todos os processos e atividades, os valoriza como seres criativos, capazes e co-construtores [aprender a fazer].

A tomada de decisões e a pactuação entre os participantes, educadores e demais profissionais que atuam no programa relacionadas aos processos e atividades, valorizam a importância do trabalho coletivo [aprender a viver em grupo].

As mostras e exibições públicas (espetáculos) dão aos participantes a oportunidade de fazer um diagnóstico do seu potencial: possibilidades x limitações; perseverança; capacidade de administrar suas emoções; automotivação; comunicação interepessoal; percepção física e corporal; autoestima; e etc [aprender a ser]

Organização das aulas
Os participantes são distribuídos em “trupes” de acordo com as suas faixas etárias que, em um sistema de rodízios, participam de aulas com uma hora de duração, das mais variadas técnicas e habilidades circenses integradas a outras linguagens artísticas e culturais. No início das atividades é realizada uma roda de discussão onde os educadores falam sobre as atividades que serão feitas no dia e os educandos têm a possibilidade de dar opiniões. Em seguida, acontece uma brincadeira e um aquecimento/alongamento preparatório para as atividades físicas que serão realizadas. Terminadas as aulas, novamente se forma uma roda de diálogos entre educandos e educadores para comentar as atividades e transmitir recados.

Funcionamento:
Aulas terças e quintas, das 14h às 17h30.

Inscrições:
A inscrição e a participação nas atividades do são inteiramente gratuitas. Podem participar crianças, adolescentes e jovens com idades entre 07 e 17 anos. A inscrição deve ser efetuada pelo representante legal, com a apresentação da seguintes documentação:

– Declaração Escolar (escola pública)
– 1 foto 3×4;
- Cópia da certidão de nascimento ou do RG e CPF do inscrito;
- Cópia do RG do responsável legal;
- Cópia do CPF do responsável legal;
- Cópia de um comprovante de Residência;
- Atestado Médico (Exame feito em até 30 dias passados).

Ajude-nos a manter este projeto. Sua doação é rápida e segura, através do PagSeguro UOL. Basta clicar no botão “doar” abaixo: